Postagem em destaque

Controle PID de Potência em Corrente Alternada - Arduino e TRIAC - Parte I

Este post é o primeiro de uma série de seis que escrevi tratando de controle de potência e PID (controle proporcional, integral e derivativo...

domingo, 23 de novembro de 2014

Intel IoT Roadshow I - Aquecendo as turbinas

Em setembro deste fui convidado a palestrar num evento da Intel, o Intel Innovation Week. O assunto era MQTT, protocolo IoT sobre o qual já fiz alguns posts nesse blog. Lá no evento os caras divulgaram outro, o Intel IoT Road Show. Esse evento busca difundir o uso da plataforma IoT da Intel baseada no Galileo. Foram abertas inscrições gratuitas, onde nós apresentávamos nossas atividades em automação e programação, para que fossem selecionados 1000 participantes mundo afora que receberão gratuitamente kits com uma placa Galileo ou Edson e também o Grove Starter Kit Plus - Intel ® IoT Edition, participando de dois dias de oficinas com o pessoal da Intel.

O fato é que fui selecionado. Iremos passar por treinamento e em seguida, usando os recursos disponibilizados pela Intel e também aqueles que levarmos, iremos desenvolver projetos de maneira a explorar os recursos da plataforma Galileo.

Pensei então em preparar alguns gadgets para a diversão, ops, evento:

- Para fazer um encontro de gerações vou levar o meu Genius, brinquedo que já foi objeto de outros posts aqui do blog. Ele sempre rende alguma brincadeira interessante, já tenho algo em mente pra fazer por lá. Será o encontro do primeiro "videogame" fabricado no Brasil com a última palavra em recursos de automação em placa única, o Galileo.

- Vou também deixar a minha câmera com gimbal conectada aqui em casa. Ela é comandada por um Raspberry que recebe comandos MQTT via web, então lá do evento a gente pode desenvolver por exemplo um controlador Nunchuck para posicionar a câmera aqui em casa.

Resolvi fazer alterações no Genius para levar no evento. A primeira delas foi melhorar o brilho das cores durante o jogo. Como ele usa lâmpadas incandescentes, as cores não brilham muito e também demoram a aparecer, de maneira que quando o jogo vai ficando mais rápido algumas vezes não dá para ver a cor que acendeu. Assim, para aumentar o brilho primeiro fizemos (quer dizer, o supoer Euclas fez...) uma fonte regulada para, em vez de colocar 3,3V na lâmpada a gente poder fornecer até 5V. Supondo que elas resistam, o brilho aumenta, claro.

Também queria controlar a velocidade do jogo, ou seja, fazer com que ele fique mais lento se eu quiser. Nesse caso o Euclides (sempre ele!) deu a ideia matadora: vamos achar o clock do circuito e fazê-lo ficar variável. O cara não é um gênio? Fala verdade!

Abaixo imagens dos brinquedos:



O capacitor C2 e o resistor R1 formam o clock do circuito. Como variar a resistência é muito mais simples do que a capacitância, ligamos um potenciômetro de 1M em série com o resistor, que é de 600k. Assim, quando o potenciômetro está em 0 a velocidade do bicho é igual à original. Á medida que aumentamos a resistência a velocidade vai caindo, porque ela é função do tempo de descarga do capacitor através do resistor.

 Aqui a fonte regulada. Hora dessas eu ponho o projetinho dela aqui. Como diz o Euclas: "Maurão, isso dá um post!"


Aqui o LED em paralelo com a lâmpada. Como ele é de alto brilho, o impacto foi grande.

E aqui a câmera com o guimbal, acoplados ao Arduino com Raspberry. Assim que tiver um tempo posto detalhes sobre o projeto.



#PartiuIntelIoTRoadshow!